20.6.13

A cabra...
















Eu falei com uma cabra.
Ela estava sozinha no prado,
foi amarrada.Cansada de grama,
 banahda pela chuva,
ela choraba.
Seu mesmo balido
 foi fraterno a minha dor.
E eu respondi,
 primeiro com uma brincadeira,
e logo chore com ela,
porque a dor é eterna,
e tem uma voz e não varia.
E eu ouvi aquela voz
gemir em uma cabra solitária.
Do seu cara de tristesa
a cabra arrepender-se
 de todas as dores,
 de qualquer outra vida...

No hay comentarios:

Publicar un comentario